segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Pequeno Grupo



Jovem, venha participar do nosso pequeno grupo que acontece toda terça feira sempre as 20 horas. Durante algumas horas conversamos, trocamos experiências, cantamos, rimos e claro, oramos. 

TODOS estão convidados. 

Medite

(clique para ampliar) 

Hope of the World - Hillsong


Falta-nos esperança


por Julie Ackerman Link em dezembro 2 em Pão Diário
Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor. —Jeremias 17:7
Adão e Eva não careciam de esperança porque tinham tudo que necessitavam. E eles tinham todos os motivos para pensar que a vida prosseguiria tão agradavelmente quanto começara com todas as boas coisas que Deus lhes dera para desfrutarem. Mas, eles colocaram tudo em risco pela única coisa que a serpente disse que Deus lhes negara: o conhecimento do bem e do mal (Gênesis 2:17; 3:5). Assim, quando a serpente veio com essa oferta, Eva entregou-se rapidamente e Adão foi igualmente rápido em segui-la (3:6). Eles obtiveram o que desejavam: conhecimento. Mas, perderam o que possuíam: inocência. Com a perda da inocência veio a necessidade de esperança esperança de que sua culpa e vergonha pudessem ser removidas, e a bondade restaurada.
O Natal é a temporada da esperança. As crianças esperam pelo mais recente brinquedo ou jogo. Famílias esperam que todos possam estar em casa para os feriados. Mas, a esperança que o Natal comemora é muito maior que nossas expectativas das festas. Jesus, o bem precioso de todas as nações (Ageu 2:7), chegou! Ele nos libertou do império das trevas…”, nos deu a redenção, a remissão dos pecados (Colossenses 1:13-14). Ele até nos possibilitou sermos sábios sobre o bem e inocentes sobre o mal (Romanos 16:19). Cristo em nós nos dá a esperança da glória.
Louve a Deus pela esperança do Natal!

Para o cristão, a esperança é uma certeza — porque seu fundamento é Cristo.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Pense Nisso

(clique para ampliar) 

Creio - Diante do Trono


Nós importamos para Deus?

por Philip Yancey em dezembro 1 em Pão Diário
…No tempo aceitável, eu te ouvi e te socorri no dia da salvação Isaías 49:8
 “Quando contemplo os teus céus…”, escreveu o salmista, “…que é o homem, que dele te lembres?…” (Salmo 8:3-4). O Antigo Testamento gira em torno desta pergunta. Estafando-se no Egito, os escravos hebreus tinham dificuldade em crer nas garantias de Moisés, de que o próprio Deus se preocuparia com eles. O autor de Eclesiastes construiu a pergunta de maneira mais cínica: “Algo importa?”
Eu mesmo tinha essa dúvida quando fui convidado a fazer uma palestra sobre o tema “…nas palmas das minhas mãos te gravei…” (Isaías 49:16).
Deus fez essa comovente declaração às pessoas que passavam por um momento frágil em sua história quando Isaías profetizou que elas seriam levadas cativas à Babilônia. Ouvindo isso, as pessoas se lamentaram: “…O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim” (Isaías 49:14). Em resposta a essa lamentação, Deus fez uma série de promessas — os Cânticos do Servo (Isaías 42–53) — no qual Ele estabelece o cenário da esperança pelo livramento de inimigos hostis. Ele antecipa a encarnação e a morte sacrificial do Servo.
Nós importamos para Deus? O Natal é um memorial da resposta de Deus: “…eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel” (Isaías7:14).

A vinda de Jesus é a prova definitiva e incontestável de que Deus se importa conosco. —Barclay

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Envolva-se

(clique para ampliar)


O culto de oração é aquele momento que você pode colocar os seus medos, anseios, pedidos e agradecimentos. Durante este mês estamos estudando o livro de Colossenses.

Estamos te esperando. 

Pense Nisso

(clique para ampliar)

Cada Passo - Os Arrais


Sob risco pelo Salvador


por Dennis Fisher em novembro 12 em Pão Diário
…honrai sempre a homens como esse; visto que, por causa da obra de Cristo, chegou ele às portas da morte… —Filipenses 2:29-30
Durante o treinamento básico, Desmond Doss irritou seu instrutor e seus colegas soldados. Pacifista por convicção, ele se recusou a levar uma arma para a batalha, fazendo seus pares duvidarem de sua coragem. Treinado como médico, o jovem cristão não se amedrontava frente ao combate. Mas, seu objetivo era salvar vidas.
As dúvidas a respeito deste médico mudariam, porém, quando a sua unidade militar enfrentou o combate. Durante a Batalha de Okinawa, na Segunda Guerra Mundial, ele rastejou sob fogo de metralhadora para levar os feridos até um lugar seguro. Ele orava: “Senhor, dá-me a força para salvar apenas mais um soldado ferido. Finalmente, ele trouxe morro abaixo mais de 70 homens feridos, para receberem cuidados médicos adicionais. Por seus esforços, Desmond Doss foi condecorado com a Medalha de Honra a maior honraria que seu país podia conceder.
As Escrituras contam sobre outro cristão que correu grandes riscos pessoais para ajudar outros. A respeito de Epafrodito, Paulo escreveu: “…honrai sempre a homens como esse; visto que, por causa da obra de Cristo, chegou ele às portas da morte e se dispôs a dar a própria vida” (Filipenses 2:29-30).
Hoje, no mundo todo, muitos cristãos arriscam suas vidas pela causa de Cristo. Oremos para que o nosso Deus os proteja enquanto eles o servem sob circunstâncias ameaçadoras.

Coragem não é ter forças para continuar — é continuar quando não se tem forças.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Pequeno Grupo

Jovem, venha participar do nosso pequeno grupo que acontece toda terça feira sempre as 20 horas. Durante algumas horas conversamos, trocamos experiências, cantamos, rimos e claro, oramos. 

TODOS estão convidados. 

Pense Nisso


O que Ele diz que eu sou! - André e Mariana Valadão


Fiel até a morte


por Bill Crowder em novembro 11 em Pão Diário
Não temas as coisas que tens de sofrer. […] Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. —Apocalipse 2:10
A Galeria de Arte Walker, na cidade de Liverpool, Inglaterra, tem uma pintura de um soldado romano fielmente montando guarda na antiga Pompeia. A pintura foi inspirada por uma descoberta arqueológica, em Pompeia, de um soldado romano fardado e equipado, envolto em pó vulcânico. A erupção vulcânica do Monte Vesúvio no ano 79 d.C. cobriu aquela cidade com lava, capturando um momento daquelas pessoas, suas vidas e sua cultura. A pintura Faithful Unto Death (Fiel Até a Morte) é um testemunho da contínua vigília do sentinela, mesmo com seu mundo sendo ferozmente engolfado pela morte.
A igreja de Esmirna — uma congregação do primeiro século que sofreu perseguição por causa de Cristo foi desafiada a ser fiel até a morte. Seu comprometimento espiritual não passara despercebido pelo Mestre (Apocalipse 2:9). E, para o sofrimento ainda por vir, Jesus ofereceu este encorajamento: “Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova […]. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (v.10).
O Senhor compreende o que estamos passando agora e o que enfrentaremos no futuro. Embora haja sofrimento neste mundo, Ele promete vida eterna a Seus filhos. Em Sua força, podemos ser fiéis até a morte (Filipenses 4:12-13).

Nossa fé pode ser testada para que possamos confiar em Sua fidelidade.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Pense Nisso


Relentless - Hillsong United


Diante do medo

por Joe Stowell em novembro 10 em Pão Diário
Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! —Mateus 14:27
Nunca esquecerei o medo que tinha, quando criança, de que as roupas jogadas em minha cadeira se transformassem numa sombria figura semelhante a um dragão após a luz do meu quarto apagar-se. Minha experiência precoce de insônia por medo me faz recordar que, quando os problemas batem à porta da vida, o medo não é nosso amigo. Ele nos incapacita a avançar e nos impede de fazer a coisa certa a menos que nossos olhos estejam fixos em Jesus.
Quando os discípulos enfrentaram o mar furioso que ameaçava varrê-los do barco, Jesus, caminhando sobre a água, assegurou-lhes: “…Sou eu. Não temais!” (Mateus 14:27). E, aos Seus seguidores amedrontados, trancados num aposento após a Sua crucificação, Jesus apareceu e perguntou: “…Por que estais perturbados? E por que sobem dúvidas ao vosso coração? (Lucas 24:38). Reconhecendo a inevitabilidade das provações, Ele disse: “…No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo (João 16:33). A questão é clara. Confiar em Sua presença e poder é o antídoto para o medo.
Como diz um conhecido hino, “Fixa teus olhos no Mestre, confia no bom Salvador; fruirás na luta terrestre, maravilhas do Seu doce amor” (HASD 360). Podemos descansar pacificamente no conhecimento de que Deus está conosco.

Confie na presença e no poder de Jesus em meio às tempestades da vida.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Pense Nisso

(clique para ampliar)

Made Me Glade - Hillsong


Da cabeça ao coração



por Julie Ackerman Link em novembro 7 em Pão Diário
Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti. —Salmo 119:11
Quando eu era criança, minha professora de piano era uma defensora da memorização. Ser capaz de tocar uma peça sem erro não era suficiente, e eu tinha de tocar várias peças impecavelmente, de memória. Seu raciocínio era não querer que, quando solicitados a tocar, seus alunos dissessem: “Desculpe, não trouxe essa música.”
Como criança, também memorizei passagens da Bíblia, incluindo o Salmo 119:11. Devido à minha compreensão limitada, acreditava que a simples memorização me afastaria do pecado. Dediquei-me a memorizar versículos e até ganhei, como prêmio, um livro de histórias da Bíblia.
Embora memorizar a Bíblia seja um bom hábito a ser desenvolvido, não é a memorização que nos impede de pecar. Como descobri logo após meus esforços vitoriosos, ter as palavras das Escrituras em minha mente fez pouca diferença em meu comportamento. Na verdade, em vez de vitória sobre o pecado, o conhecimento isolado gerou sentimentos de culpa.
Finalmente, percebi que a Palavra de Deus tinha de disseminar-se por todo o meu ser. Eu precisava internalizar as Escrituras, escondê-las “em meu coração da maneira como um músico faz com uma peça de música. Eu tinha de viver a Bíblia tanto quanto pudesse citá-la. À medida que a Palavra de Deus se dissemina das nossas mentes aos nossos corações, o pecado perde seu poder sobre nós.

Permita que a Palavra de Deus preencha sua memória, dirija seu coração e guie sua vida.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Day Camp

(clique para ampliar)

No dia 20 de novembro de 2014 nossa igreja promoverá um day camp. Você é nosso convidado especial para participar de um dia de descanso, diversão e muita comunhão. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail jubatrem@gmail.com ou em nossas celebrações. 

Mas corra porque as vagas são limitadas!

Pense Nisso

(clique para ampliar)

Sem Medo - Vineyard


O Romance


por Cindy Hess Kasper em novembro 6 em Pão Diário
…A Noemi nasceu um filho. E lhe chamaram Obede. Este é o pai de Jessé, pai de Davi. —Rute 4:17
Nos tempos bíblicos, as viúvas frequentemente enfrentavam uma vida de pobreza. Essa é a situação em que Rute e sua sogra, Noemi, se encontravam após perderem seus maridos. Mas, Deus tinha um plano para proporcionar-lhes segurança ao envolver Rute como parte integral de um plano muito maior.
Boaz, um rico latifundiário, sabia da existência de Rute e a admirava (Rute 2:5-12), mas ficou surpreso, uma noite, ao acordar e vê-la deitada a seus pés (3:8). Ela lhe pediu para estender a sua capa sobre si, para indicar que, como parente próximo, ele estava disposto a ser seu resgatador (v.9). Mais do que um pedido de proteção; Rute o pedia em casamento. Boaz concordou em casar-se com ela (vv.11-13; 4:13).
Não é exatamente uma típica história romântica. Não obstante, a decisão de Rute de seguir as instruções de Noemi (3:3-6) estabeleceu uma série de acontecimentos que a colocaram no plano de redenção de Deus! Do casamento de Rute com Boaz nasceu um filho, Obede, que veio a ser avô do rei Davi (4:17). Gerações depois, dessa família nasceu José, que se tornou o “pai legal” do filho de Maria (Mateus 1:16-17; Lucas 2:4-5) nosso Redentor, Jesus.
Rute confiou em Deus e seguiu as instruções de Noemi, mesmo não conseguindo vislumbrar o fim da história. Nós também podemos confiar na provisão de Deus quando a vida é incerta.

O medo atrapalha a fé, mas a confiança a estimula.