segunda-feira, 4 de agosto de 2008

RECADO AOS PAIS


Um menino, com voz tímida e os olhos de admiração, pergunta ao pai, quando ele retorna do trabalho:

- Papai, quanto o Sr. ganha por hora?

O pai, num gesto severo, responde:

- Escute aqui, meu filho; isto nem a sua mãe sabe. Não amole, estou cansado!

Mas o filho insiste:

- Mas papai, por favor, diga: o Sr. ganha quanto por hora?

A reação do pai foi menos severa e respondeu:

- Três reais por hora.

- Então papai, o Sr. poderia me emprestar um real?

O pai, cheio de ira e tratando o filho com brutalidade, respondeu:

- Então essa era a razão de querer saber quanto eu ganho? Vá dormir e não me amole mais, menino aproveitador!

Já era noite, quando o pai começou a pensar no que havia acontecido e sentiu-se culpado. Talvez, quem sabe o filho precisasse comprar algo. Querendo descarregar sua consciência doída, foi até o quarto do menino e, em voz baixa perguntou:

- Filho, está dormindo?

- Não, papai!

- Olha, aqui está o dinheiro que pediu, um real.

- Muito obrigado, papai.

Então levantou-se, retirou mais dois reais de uma caixinha que estava sob a cama e disse:

- Agora, já completei, papai. Tenho três reais. Poderia me vender uma hora de seu tempo hoje?

Lembrem-se, papai o seu filho precisa de qualidade de tempo e não, propriamente, de quantidade de tempo.


TEXTO EXTRAÍDO DA REVISTA CAMINHANDO DE 2005

Um comentário:

Regiane disse...

Nossa quantos pais não precisavam ler esse texto neh. Que o nosso Deus ajude a cada um de nós jovens e filhos de hoje, sermos bons pais amanha!